Contribuinte Individual Ou Facultativo: Qual É Melhor?

Casal contribuinte vendo seu perfil como contribuinte individual ou facultativo

Descubra a diferença entre contribuinte individual e facultativo e faça a escolha certa para seu perfil previdenciário e a sua fonte de renda.

Afinal, o contribuinte é individual ou facultativo? Ambos contribuem como segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), ajudando a pagar benefícios previdenciários.

Porém, eles se diferenciam na forma como entram no sistema previdenciário. Isso porque o contribuinte individual é obrigado a contribuir devido à sua atividade remunerada. Já o facultativo escolhe contribuir voluntariamente, mesmo sem vínculo empregatício.

Quer entender mais sobre as definições de contribuinte individual e facultativo? Continue a leitura e confira:

  • O que é o contribuinte individual?
  • O que é o contribuinte facultativo? 
  • Qual a diferença de contribuinte facultativo e individual?
  • Qual a melhor opção de contribuinte individual ou facultativo?
  • Como saber se sou contribuinte facultativo ou individual?

O que é o contribuinte individual?

O contribuinte individual é uma categoria de segurado do INSS relacionada a pessoas que exercem alguma atividade remunerada por conta própria, sem vínculo empregatício. É o caso de profissionais autônomos e liberais. 

Ainda assim, esses contribuintes são obrigados por lei a colaborar com a previdência social, garantindo o direito a benefícios previdenciários, como aposentadoria, auxílio-doença, entre outros.

O que é o contribuinte facultativo? 

O contribuinte facultativo adere ao sistema previdenciário voluntariamente. Ou seja, mesmo sem vínculo empregatício ou fonte regular de renda, essa categoria de segurado faz contribuições de forma consciente e opcional.

O objetivo é garantir acesso a benefícios previdenciários futuros, como aposentadoria e auxílio-doença. Essa escolha reflete o comprometimento individual em construir uma proteção social, assegurando amparo em caso de necessidade ao longo da vida.

Contribuinte facultativo baixa renda

O contribuinte facultativo de baixa renda é uma categoria especial do sistema previdenciário brasileiro. Ela é destinada a indivíduos que não têm renda própria e se dedicam exclusivamente ao trabalho doméstico em sua residência

Diante disso, é uma opção contribuir voluntariamente para o INSS e ter direito a diversos benefícios previdenciários. A contribuição é calculada como 5% do valor do salário mínimo vigente.

Os critérios de elegibilidade do contribuinte facultativo de baixa renda são:

  • não ter renda própria;
  • ter dedicação exclusiva ao trabalho doméstico em casa;
  • possuir renda familiar de até 2 salários mínimos (o Bolsa Família não é considerado).
  • estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) com atualização nos últimos 2 anos;
  • pagar regularmente as contribuições para garantir acesso aos benefícios.

Os benefícios oferecidos incluem:

  • aposentadoria ao atingir a idade e os requisitos mínimos;
  • auxílio em casos de doença ou incapacidade temporária, ou permanente;
  • beneficia os dependentes em caso de falecimento do segurado;
  • garante suporte financeiro durante o período de licença maternidade;
  • benefício para os dependentes quando o segurado está cumprindo pena em regime fechado.

Qual o valor do pagamento facultativo para baixa renda em 2024?

O valor do pagamento facultativo para baixa renda em 2024 é R$ 70,6. Ou seja, apenas 5% do salário mínimo vigente. 

Qual a diferença de contribuinte facultativo e individual?

A principal diferença está na obrigatoriedade. Isto é, o contribuinte facultativo escolhe contribuir, enquanto o individual é obrigado, por exercer uma atividade remunerada. A seguir, saiba mais detalhes que explicam as diferenças entre eles!

Contribuinte facultativo

  • quem é – pessoas que escolhem contribuir para o INSS voluntariamente, sem serem obrigadas por vínculo empregatício;
  • o que faz – paga para acessar os benefícios previdenciários;
  • características – não tem renda própria, não exerce atividade remunerada ou pode ser estudante, por exemplo;
  • exemplo – dona de casa que decide contribuir para garantir benefícios previdenciários no futuro.

Contribuinte individual

  • Quem é – pessoas que exercem atividade remunerada por conta própria, como autônomos, empresários individuais, entre outros;
  • o que faz – é obrigado a contribuir devido à sua atividade profissional e vinculado a uma fonte de renda;
  • características – tem uma fonte regular de renda vinda de sua atividade profissional;
  • exemplo – advogado autônomo que é obrigado a contribuir para o INSS.

Qual a melhor opção de contribuinte individual ou facultativo?

Ambas as opções são válidas, mas a escolha depende da sua situação específica. Entenda!

Vantagens do contribuinte individual

  • contribuição obrigatória, garantindo benefícios previdenciários no futuro;
  • vínculo direto com uma fonte de renda;
  • maior previsibilidade no valor das contribuições devido à obrigatoriedade.

Vantagens do contribuinte facultativo

  • escolha voluntária de contribuir, proporcionando flexibilidade na sua decisão;
  • acesso a benefícios previdenciários sem precisar de atividade remunerada;
  • opção para estudantes, donas de casa ou pessoas sem renda própria.

Qual escolher?

Se você tem atividade remunerada, ser um contribuinte individual é uma opção natural. Afinal, a contribuição é obrigatória para quem tem fonte de renda própria.

Por outro lado, se você não tem ou deseja contribuir voluntariamente, o contribuinte facultativo é a melhor escolha. Assim, você adere ao sistema previdenciário mesmo sem obrigatoriedade, opção indicada para estudantes, donas de casa ou quem não possui renda própria.

Como saber se sou contribuinte facultativo ou individual?

Determinar se você é um contribuinte facultativo ou individual envolve analisar sua situação ocupacional e fonte de renda. Assim:

  • atividade remunerada – se você tem alguma atividade remunerada por conta própria, é provável que seja um contribuinte individual;
  • avalie sua fonte de renda – se não tem uma fonte regular de renda, mas deseja contribuir para a previdência, pode optar pela categoria facultativa;
  • consulte um profissional de previdência – em casos mais complexos, ou se houver dúvidas sobre a melhor opção, consultar um contador ou profissional de previdência pode fornecer orientação personalizada.

Advogado Pode Sacar Benefício do INSS? Veja!

Então, entendeu se você é um contribuinte individual ou facultativo e outras informações relacionadas? A escolha entre as duas categorias, quando for possível escolher, depende da natureza da ocupação e das suas preferências financeiras.

Quer aproveitar a visita para se aprofundar no assunto? Confira outro artigo e descubra se o advogado pode sacar benefício do INSS em nome do contribuinte!

Receba uma proposta personalizada gratuitamente!

Os especialistas da PX Ativos Judiciais vão analisar o seu caso e fazer uma oferta exclusiva.

💬 Precisa de ajuda?